O planejamento financeiro é parte fundamental da vida de qualquer pessoa, mas para os profissionais autônomos ele é ainda mais importante.

Como o valor e as datas dos seus ganhos não são fixos, é fácil perder o controle e acabar pagando multas ou até mesmo entrando em dívidas.

Para evitar que isso aconteça, você deve fazer o constante acompanhamento do seu dinheiro, planejando seus gastos e controlando o fluxo de caixa do negócio. Esse é um processo muito importante e que não pára nunca.

Outra ferramenta importante do planejamento financeiro é o balanço anual, que indica a posição do negócio no curto, médio e longo prazo. Isso permite que você avalie a saúde financeira do seu negócio com frequência e saiba quando é preciso fazer mudanças ou reforçar o que está dando certo. Isso vai garantir a lucratividade, segurança e a gestão adequada de riscos.

Para que você saiba como fazer o planejamento financeiro do seu negócio com eficiência e facilidade, trouxemos 5 dicas que vão fazer a diferença nesse processo. Confira:

 

Organize suas contas

Um ponto fundamental para a organização das contas é separar o que é conta da empresa do que é pessoal.

Isso vale também para autônomos. Não é possível ter uma visão clara da situação do seu negócio se você mistura contas da empresa com contas pessoais e isso pode levar a problemas de fluxo de caixa, ou seja, falta de dinheiro para pagar as obrigações e até operacionalizar o negócio.

Estabeleça controles claros. Aliás, invista em bons aplicativos que podem ajudar a fazer um acompanhamento das finanças e de outros aspectos do seu negócio.

 

Formalize o seu negócio

Já houve um tempo em que formalizar um negócio era uma tarefa quase tão difícil quanto à tentativa de escalar o monte Everest.

Atualmente, há uma série de instrumentos para apoiar o empreendedor na tarefa de formalizar sua empresa. Para quem é autônomo, uma ótima condição é o MEI (Microempreendedor Individual). O valor do tributo pago é único, não passando de R$ 60 mensais, mas o empreendedor tem direito aos serviços da previdência.

Além disso, há uma série de benefícios exclusivos para negócios formais, como a obtenção de licenças, certificações e alvarás, sem contar que poder emitir notas fiscais aumenta sua credibilidade perante o mercado.

 

Faça uma reserva de dinheiro

Sabe aquela história de ganhar, gastar, poupar e investir? Isso também é válido no planejamento financeiro para autônomos.

Uma das dicas de planejamento financeiro mais importantes é essa: assegure-se de ter uma boa reserva de dinheiro antes de abrir o seu negócio.  Qualquer negócio pode estar sujeito a períodos de baixa, principalmente se o seu estiver sujeito a sazonalidade.

Por outro lado, ter reservas de capital não é só uma condição para encarar adversidades, mas também para aproveitar oportunidades. É muito melhor ter o dinheiro para investir em uma grande oportunidade do que ter que tomar dinheiro emprestado no banco, que irá lhe custar uma fortuna depois em juros.

 

Planeje as suas férias

Essa dica pode parecer inusitada mas faz todo sentido quando você pensa bem sobre o assunto.

Quando se é autônomo, planejar as férias se torna sempre um problema. Muitos acabam não tirando nunca por falta de planejamento e por se envolverem profundamente com o trabalho.

O problema é que não tirar férias pode acabar comprometendo a sua saúde física e mental, o que é mais grave do que comprometer a saúde financeira, porque você é a engrenagem do negócio e, sem condições de trabalhar, não haverá finança nenhuma para controlar.

Comece a planejar as próximas férias tão logo terminem as férias passadas. Planeje o seu salário, separe o seu dinheiro do dinheiro da empresa e guarde uma fatia dele para as férias.

A dica é escolher aquele mês em que historicamente o faturamento é menor. Isso também faz parte do planejamento econômico e financeiro.

 

Pense na sua aposentadoria

Aposentadoria nos dias atuais parece ter se tornado uma miragem, mas não desanime. Mesmo que você pense em continuar trabalhando após a aposentadoria, vale lembrar que se trata de uma renda a mais e uma garantia para a velhice.

Se possível, vale a pena investir em previdência privada. Neste caso, avalie bem as opções e veja qual se enquadra melhor nas suas finanças.  

Mantenha também uma poupança, alimentada mensalmente, que você possa utilizar em casos de emergência e também para garantir mais qualidade de vida na aposentadoria.

Gostou das dicas? Que bom, porque nós temos muita informação a oferecer para você sobre finanças e outros temas. Assine a nossa newsletter e não perca nossas publicações.